Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘bellucci’ Category

Passo atrás

O retorno de Bellucci dos torneios ATP para os challengers recebeu críticas de alguns blogueiros, embora de forma não pronunciada. Dá para analisar a decisão do paulista e de seu treinador sob alguns ângulos.

  • Jogando challengers, o tenista desce de nível e deixa de “forçar” o seu jogo a evoluir. Ou seja, sem tantos desafios, os torneio menores não vão fazê-lo melhorar quanto um torneio grande, mesmo perdendo nas primeiras rodadas, faria.
  • Confiança. O Bellucci vem melhorando neste ano, com vitórias em dois Grand Slams. Mas não tem conseguido uma seqüência animadora de jogos como na primeira metade do ano. O jogador sente falta disso, voltar a vencer seguidas partidas lhe dá confiança. Só não pode é perder direto em challengers também. Aí mostra que tem coisa errada.
  • Ranking. Bellucci pode até estar jogando bem, mas não avançar muito nas competições lhe custou várias posições no ranking, inclusive o número 1 do Brasil. Voltar aos challengers pode ser uma boa tentativa de subir, mas também é assumir que em ATP Tour (internatinal Series, etc.) esses pontos seriam complicados demais.

Marcos Daniel, mais velho e experiente, fez essa opção recentemente. É outra situação. Defende muitos pontos na Copa Petrobras. Sem eles, cairia muito. Provavelmente não os conseguiria em ATP Tours.

Daniel, por sinal, está fazendo estrago ao ganhar challenger atrás de challenger e atingir o melhor ranking da carreira. Mostra que seu nível está além dos challengers.

Por motivos diferentes, tanto Bellucci quanto Daniel devem voltar em breve aos torneio da ATP. O paulista precisa explorar seu potencial, e o gaúcho, mostrar que ainda tem fôlego para não ser jogador apenas de torneios menores.

Read Full Post »

Del Potro e Bellucci, esperanças de Brasil e Argentina

Del Potro e Bellucci, esperanças de Brasil e Argentina

Com a vitória por 3 a 1 sobre o espanhol Oscar Hernandez, o brasileiro Thomaz Bellucci passou para a segunda rodada do US Open. Ótimo resultado, embora ainda tenha apresentado um jogo um pouco inconstante: abria vantagem com facilidade e a perdia com a mesma rapidez. Mas, ao contrário do que aconteceu nos últimos torneios, saiu com a vitória.

Na próxima fase enfrenta o surpreendente Juan Martin Del Potro, argentino que conseguiu sua 20ª vitória consecutiva ao despachar o compatriota Guillermo Cañas por 3 a 1. O garoto vem numa ascendente impressionante, com quatro título de ATP Tours em seqüência – Stuttgart, Kitzbuhel, Los Angeles e Washington. Coloquei-o como favorito às quartas-de-final em Nova York.

Bellucci e Del Potro são esperanças de Brasil e Argentina, rivais até no par ou ímpar. São jovens. O brasileiro fará 21 anos em 30 dezembro, o argentino, 20 em 23 de setembro. Os dois têm um jogo adaptado a quadras rápidas, como a do US Open. Nunca se enfrentaram.

O que mais os diferencia é que Del Potro já estourou. Depois de um mês e meio avassalador, com vitórias sobre Gasquet, Roddick e Haas, só para citar alguns, chegou ao 17º lugar do ranking de entradas. Era, antes, apenas os 65º. Pode ser apenas uma temporada sensacional, mas tudo indica que a promessa virou realidade.

Del Potro “furou” o top 100 em outubro de 2006, subiu e desceu algumas vezes até se afirmar como jogador acima do nível dos challengers. Mas demorou um pouco (tem um texto sobre ele no site da ATP).

E é nessa fase que Bellucci está, a de afirmação. Ainda não se adaptou completamente ao ritmo/peso da bola/desgaste físico do jogo em alto nível. Mas está no caminho. O importante é não baixar a cabeça com as derrotas consecutivas. Logo, logo ele encontra a posição no ranking mais adequada a sua capacidade.

Sobre o jogo, Del Potro deve ganhar por ter mais experiência e ser mais jogador. O Bellucci pode incomodar um pouco – melhor se incomodar um monte. Qua tal um 3 a 1 para o argentino? Acho justo.

Read Full Post »

Bellucci é a maior esperança brasileira no tênis - Cristiano Andujar/Andujar Press

Bellucci é a maior esperança brasileira no tênis - Cristiano Andujar/Andujar Press

O paulista Thomaz Bellucci tinha tudo para conseguir a vitória logo na estréia do Masters Series de Toronto. Pegou um Fernando Verdasco em boa fase, mas cansado, e fez 6/1 com certa tranqüilidade no primeiro set. Mas levou a virada do espanhol número 11 do mundo por 6/3 e 6/2.

Não assisti à partida, que — show de bola! — teve transmissão ao vivo, porque estava no trabalho. Acompanhei apenas pelo ponto a ponto do Tenisbrasil. Mas tenho algumas teorias para a partida:

1 – Verdasco achou que passaria fácil pelo quase desconhecido brasileiro e entrou desconcentrado, talvez displicente. Percebendo o bom jogo de Bellucci, elevou o nível para o que lhe é habitual neste ano e venceu.

2 – Compartilho da opinião do José Nilton Dalcin, do Tenisbrasil. Ainda falta experiência para o brasileiro. Ele ainda está alguns degraus abaixo dos melhores. Ontem foi seu primeiro jogo em um Masters Series, fez apenas três partidas em Grand Slams. É novato até mesmo em ATPs, torneios que combinam mais com seu nível atual — jogou quatro partidas em três competições.

Discordo do Dalcin quando ele diz que incomoda a forma como Thomaz Bellucci desperdiça as chances. Pelo menos para mim, isso pode acontecer mais um par de vezes.

Bellucci é novo, tem um bom jogo e, principalmente, espaço para crescer. Falta ser mais regular dentro de uma partida e depois dentro de uma competição grande. Falta se impor quando está jogando melhor. Só mais jogos podem lhe trazer isso.

Se o objetivo não foi criar um fenômeno ainda garoto, como Nadal e Djokovic, — e claramente não foi, por diversos fatores, como idade, apoio, política do esporte, etc. — é bom dar um tempo para Bellucci, que fará 21 anos em dezembro.

O calendário do brasileiro a partir de agora inclui as Olimpíadas, onde pode surpreender, e o US Open, em que, com sorte e juízo, tem chance de avançar uma ou duas rodadas. Se for mais, melhor!

Read Full Post »